quinta-feira, 9 de junho de 2016

Gore Vidal


 
O  romancista e ensaísta Gore Vidal morreu em julho de 2012, em sua casa em Hollywood Hills, onde morava desde 2003, depois de anos vivendo na Itália. 

  
 Publicou cerca de 25 romances, dois livros de memórias e vários volumes de moda em ensaios magistrais. Também escreveu peças teatrais, dramas da televisão e roteiros e,por alum tempo,foi roteirista contratado pela a MGM. 

 Eis Edmund Miller relatando sua militância no movimento LGBT :  "Ele é importante para o patrimônio literário gay por causa da simplicidade com que exerceu temas gays e incluiu personagens gays em seu trabalho ....  também pesquisou que tipo de material gay poderia ser incluídos em suas obras principais e, como resultado, ficou mais fácil para uma ampla gama de outros escritores  encontrar o reconhecimento público de seu material. "
 ******************
  Eugene Luther Gore Vidal nasceu  em 3 de outubro de 1925, filho de um jogador de futebol americano que se tornou um pioneiro  da aviação e teve três companhias  aéreas, de uma atriz e socialite  e seu avô materno era Senador por Oklahoma.  
Sua mãe casou-se com Hugh D. Auchincloss, o padrasto de Jacqueline Kennedy Onassis. 
Foi aluno St. Albans School, em Washington, DC, onde conheceus Jimmie Trimble, que Gore descrevia como "a sua outra metade"  
A morte da Trimble na Segunda Guerra Mundial  tornou impossível a reallização copleta com outra pessoa por muito tempo"  

Chega a fama

Vidal conheceu o sucesso como um dos jovens escritores que surgiram depois da Segunda Guerra Mundial. Seu primeiro livro foi Williwaw mas  A Cidade e o Pilar, dedicado memória de Trimlededicado  o fez famoso. Ícone da  literatura gay, o romance é uma tentativa ambiciosa de narrar, de   forma realista  o despertar um homossexual,mas "queimou" o autor  para muitas publicações, inclusive o The New York Times. 
GV no final dos anos 50
Passou a usar os pseudônimos de Edgar Boz e Cameron Kay e direciounou seu talento para a tv,,teatro e cinema.Em 1968, Vidal republicou A Cidade e o Pilar revista,  com um final diferente e mais positivo. 
O maior sucesso de Vidal é  "O melhor homem" (1960), que   se tornou um filme de sucesso (1964) e foi recentemente revivido na Broadway.  

  
 Chega o preconceito

Na década de 1960, Vidal voltou a escrever romances: Julian (1964), Washington, DC (1967), e Myra Breckenridge (1968). Este último, uma comédia de humor negro sobre um homossexual do sexo masculino que tem a cirurgia de redefinição sexual, era o favorito próprio Vidal de entre os seus livros. Vidal escreveu romances sobre a história americana, incluindo Burr (1973), 1876 (1976), Lincoln (1984), Hollywood (1990) e A Era de Ouro (2000).
Outras novelas incluem Duas Irmãs (1970),   Myron (1974), uma sequência de Myra Breckenridge e   O Evangelho Segundo Gore Vidal (1992), que parodia os Evangelhos, com o apóstolo Paulo como um vendedor ambulante e um palhaço como Jesus.  Esta obra publicada  no New York Review of Books e distribuída em 8 volumes é uma crítica severa da política americana.   


Em "Triângulo Rosa e Estrela Amarela" (1981),  Vidal descreve como neo-conservadores intelectuais judeus exercem a   homofobia. 
Vidal escreveu duas memórias, Palimpset (1995) e Navegação ponto a ponto".Seu relacionamento mais significativo foi com o companheiro de 53 anos, Howard Austen, um ex-executivo de publicidade que morreu em 2003. 

E chega o fim

Naquele ano, Vidal e Austen se mudaram para Los Angeles  a para que Austen pudesse, estar mais próximo ao Centro Médico Cedars-Sinai, onde ele estava sendo tratado.Austen foi enterrado em Washington, DC no Rock Creek Cemetery.  
Na lápide foram inscritos com seus nomes a lado e,agora,repousam juntos para sempre

************************

Nenhum comentário:

Postar um comentário